Últimas Imagens

Traduzimos uma antiga entrevista de Amber Heard e Nicolas Cage na conferência de imprensa de Fúria sobre Rodas. Confira!

Houve maneiras específicas que afetaram seu desempenho?

Amber Heard: “Retomando o que ele já disse, para mim, parte disso me fazia sentir como se fosse parte do público, de uma certa forma, participando ativamente enquanto você está filmando algo. Atuando e participando da forma de como ele será visto mais tarde, é tipo, uma maneira estranha de me colocar no lugar do público, e foi interessante filmar algo. Eu também sei que nós tivemos várias filmagens, porque este filme foi concebido em 3-D e não convertido, tivemos o privilégio e a oportunidade de manipular algumas de nossas ações e a forma que ele seria visto mais tarde. Eu dei alguns socos diretamente na lente e apoiei o carro quase sobre a câmera duas vezes para criar efeitos com resultados específicos que conseguiria atingir a plateia na exibição do filme em 3D. Eu também tenho que dizer que eu acho que os filmes que são convertidos depois… Eu não vejo bons exemplos de filmes assim. Eu já vi muitos filmes em 3-D que foram filmados em 3-D, mas é mais difícil converter e manter a qualidade, não importa o que você está convertendo”.

Amber, como foi fazer um papel tão físico?

Amber Heard: “É um dos únicos filmes onde eu realmente começo a chutar alguns traseiros, mas não é surpreendentemente diferente de casa. Quer dizer, eu sou do Texas e, armas, brigas e coisas desse tipo, são tudo parte do show. Tudo que seja desde o Hot Rod até as botas de cowboy, era algo de casa para mim. Eu estava feliz”.

Amber, você sente que filmes de gênero têm um papel mais forte para as mulheres?

Amber Heard: “Parece ser um filme de ação para mim. Ele tem elementos sobrenaturais, mas em termos de fortes personagens femininos, é por isso que eu estou fazendo este trabalho. Eu seria uma modelo se eu não quisesse fazer alguma coisa. Para mim, o gênero serve às vezes como um bom veículo para que as mulheres jovens neste negócio realmente consigam ter um papel. Pode não ser sempre salvando o dia, mas você certamente consegue algo a mais do que apenas ser a namorada em filmes de terror e suspense. Sou atraída por isso, porque eu realmente começo a fazer algo na maior parte do tempo. E este foi a um nível completamente diferente. Piper, minha personagem, é essa durona, boca suja, uma Daisy Duke vestida, dirigindo um Charger, uma filha da p*** armada, e ela não engole qualquer m**da. Onde mais eu iria encontrar isso? Este é o único roteiro que eu já li com esses elementos.

Nicolas, que relação seu personagem tem com a “fúria”?

Nicolas Cage: “Não é muito simples para mim. Eu não posso encapsular tudo sobre Milton na palavra fúria. Há também outras coisas que motivam o seu percurso. Com sorte, quando você vê o filme, existem outras dimensões no personagem. É mais como um sentimento de outridade e um propósito, mas a raiva é uma raiva que é uma fúria restante de algo que aconteceu em outra vida. E eu provavelmente já falei demais. Mas eu não quero falar sobre a relação que Milton tem com raiva, e sim de Amber”.
“Piper fornece o coração do filme. Quando você vê o filme, você vai ver o que a Amber tão lindamente fez com ele. Há um outro elemento que pode surpreendê-lo, onde o filme realmente tem um profundo e forte coração – e isso não é romântico. É como uma parceria. Eu acho que seria ótimo se pudéssemos fazer outro filme, porque eu amo esse relacionamento emitido por Milton e Piper”.

Amber Heard: “Estou dentro!”

Tradução e Adaptação: Equipe AHBR

Publicado por Karla Nogueira em 4 de March