Seja bem-vindo ao Amber Heard Brasil, sua melhor fonte sobre a atriz Amber Heard. Aqui você encontra notícias, fotos, vídeos, além do melhor conteúdo sobre a Amber.Esperamos que você goste e volte sempre! O Amber Heard Brasil é um fã site mantido por fãs com o objetivo de informar os demais. Nós não somos e não temos qualquer contato com a mesma. É proibido a cópia parcial ou imparcial deste site.

Foi divulgado na manhã dessa quarta-feira, 05, que o produtor de London Fields, filme baseado no romance de Martis Amis e protagonizado por Amber, finalmente chegaram a um acordo, dando fim ao processo judicial.

“Amber está feliz em colocar este assunto para trás”, disse um representante em um comunicado. “Ela nunca deveria ter sido processada em primeiro lugar.”

Em novembro de 2016 os produtores do filme apresentaram um processo de 10 milhões de dólares contra a atriz, afirmando que Heard desconsiderou as obrigações contratuais ao não prestar serviços de interpretação de acordo com o roteiro pré-aprovado, e mais tarde, ao se recusar com grande parte do elenco a participar da estréia do filme no Festival Internacional de Cinema de Toronto, ou de qualquer outra atividade promocional, causando “danos substanciais” à imagem do filme.

No dia 30 de março de 2017, numa quinta-feira, Amber pronunciou-se afirmando que tinha sido vítima de exploração de sexualidade pelo produtor do longa, e dizendo a um juiz, “este caso ilumina o escuro submundo de Hollywood.”

Em uma contra-queixa contra Hanley e sua esposa Roberta, seu advogado continua, “Amber Heard é a última vítima deste casal lascivo de exploradores sexuais. Uma estrela de cinema em ascensão, Heard concordou em protagonizar o filme intitulado London Fields, baseado no romance de Martin Amis. Depois de ler o roteiro, ela insistiu em restrições específicas sobre nudez e cenas de sexo no filme como condições para concordar em aparecer no mesmo. Christopher Hanley expressamente concordou com os termos de Heard, e eles foram memorializados no Nudity Rider de seu contrato.”

No filme, a atriz interpreta Nicola Six, uma clarividente que convive diariamente com a vívida premonição de seu próprio assassinato. Na contagem regressiva para a morte, ela se envolve romanticamente com três homens diametralmente distintos, um dos quais será seu algoz.

De acordo com os produtores, o longa tem previsão para ser lançado pela GVN Releasing no dia 26 de outubro deste ano. Nenhum dinheiro mudou de mãos como parte do acordo.

Lynn Gibson, administradora da Nicola Six Limited, disse no comunicado: “Estamos entusiasmados com o fato de que a visão ousada de Martin Amis será finalmente compartilhada com o público.”

Chris Hanley diz em documentos à Justiça que “London Fields” foi “sabotada” por uma atriz que sucumbiu à pressão de um marido ciumento.

Em uma ação judicial envolvendo a nudez em Hollywood, a briga está feia. Na segunda-feira, o produtor de London Fields, Christopher Hanley, ficou altamente pessoal com Amber Heard, a atriz que estrela em seu ainda-ainda-não-liberado filme baseado no aclamado romance de Martin Amis. Em novos documentos judiciais, a produtora aborda o relacionamento de Heard com seu ex-marido, Johnny Depp, sugerindo que o ator era ciumento e contribuiu para conflitos nos bastidores do filme, pressionando Heard a retirar seu apoio às cenas provocantes.

Nicola Six Limited, a produtora por trás de London Fields, apresentou inicialmente uma reivindicação de US $ 10 milhões contra Heard por supostamente desconsiderar as obrigações contratuais ao não prestar serviços de interpretação de acordo com o roteiro e depois se recusar a promover London Fields no Festival Internacional de Cinema de Toronto. A atriz, em resposta, apresentou contra-acusação contra Hanley e sua esposa, Roberta. De acordo com a explosiva denúncia, os Hanleys secretamente filmaram cenas de sexo e nudez com uma dublê de corpo no lugar de Amber em suposta violação do ‘Nudity Rider da atriz. Além disso, Hanley supostamente permaneceu com as “fotos de continuidade” de Heard, realizadas em vários estados de nudez, após as filmagens.

Agora, foi a vez de Hanley responder. Ele apresentou uma “Resposta”, que 99 vezes em 100, é um documento chato que recita uma ladainha de recusas e algumas defesas afirmativas amplamente declaradas. Conte isso na categoria de um por cento.

“Amber Heard deveria ter vergonha”, abre a declaração preliminar.

“O queixante foi subestimado nas alegações contra Heard”, continua o advogado do contra-réu, Mathew Rosengart. “O queixante até notou a possibilidade de que a má conduta de Heard durante e depois das filmagens pudesse resultar, pelo menos em parte, de sua tumultuada relação com o Sr. Depp, que estava em andamento durante a filmagem de London Fields. Heard fez inúmeras acusações sensacionais contra Depp, e relatos de seu suposto caso com o co-protagonista Billy Bob Thornton tornou-se tão difundida que Thornton emitiu uma negação pública. De fato, embora geralmente escondido do queixante na época, o queixante agora está informado e acredita que a natureza provocadora do papel femme fatale de Heard no filme foi um fator que levou ao seu divórcio de Depp “.

Na contra-queixa, Heard afirma que sua privacidade foi invadida e alega que ela nunca teria concordado com imagens que ela considerasse “pornográficas”.

Os papéis judiciais de Hanley respondem que este é um “esforço irônico de Heard de se retratar como uma ‘vítima’ … contrariada pelas provas documentais, incluindo os contratos governamentais e as próprias declarações contemporâneas de Heard (pré-processo) aos Hanley e outros, em meados de 2015 … ”

Heard, que anteriormente estrelou em Zombieland, é descrita nos últimos documentos como tendo “entendido e aceitado o papel” de uma promíscua psíquica e sabia que o filme incluiria algumas cenas de nudez. Mas o sacrifício valeria a pena, sugere Hanley. Rosengart escreve: “Embora ela tivesse tido algum sucesso moderado antes do processo de seleção do elenco de London Fields, o papel principal de ‘Nicola Six’ seria de longe o maior de Heard até aquele momento, e ela esperava que fosse sua performance breakout, transformando-a em uma das maiores atrizes principais.”

Hanley tenta refutar a alegação de “sexploitation” alegando que o filme “contém nudez mínima (e obviamente não “pornô”, como Heard alegou incorretamente), nem retrata Heard em qualquer cena nua fora do escopo de seu Nudity Rider, que ela negociou e para o qual ela recebeu pagamento.”

O produtor está envolvido em um processo separado com Mathew Cullen, o diretor de London Fields, sobre a tomada de decisão criativa e dinheiro. Mas aqui, Hanley diz que ambos estavam na mesma página quando se tratava de certas questões relacionadas a Heard.”

“Certamente, Cullen e Hanley concordavam amplamente quanto ao comportamento de Heard”, escreve Rosengart. “A título ilustrativo apenas, quando Heard se recusou a agir em conformidade com o script – e com seu contrato – o diretor Cullen enviou um e-mail a Hanley explicando que ele ” iria se reunir com Amber amanhã e discutir para ser claro. Eu estou alinhado com você e é uma surpresa o grau de que ela está falando. ”

Uma das cenas indecentes provocando controvérsia entre as partes envolve uma mulher policial, uma mulher detida no capô de um carro e um bastão de polícia. Hanley diz que a cena foi filmada por Cullen.

“De qualquer forma, embora ela tenha dito aos Hanleys que seu ex-marido Johnny Depp (que não tinha direitos de corte) não aprovaria certas cenas ou de seu desempenho provocativo geral, a própria Amber havia aprovado essas cenas em várias ocasiões”, afirma o resposta. “Heard depois mudou de atitude, aparentemente sob a pressão percebida ou real de Depp (que, segundo Heard, era extremamente ciumento) e Cullen …”

Rosengart acrescenta: “Com o pretexto de apoiar o diretor do filme, que foi afastado ou sob pressão de Depp (ou ambos), Heard violou seus contratos e sabotou a valiosa propriedade do filme do requerente, causando a este milhões de dólares em danos. Suas táticas de difamação e as alegações tardias e fantásticas (dignas de seu caráter Nicola Six) não alteram nenhum desses fatos, e ela deve responder – em sua próxima deposição – por sua contra-queixa sem méritos.

Os advogados de Heard respondem: “Pessoas desesperadas dizem coisas desesperadas. O fracasso total de London Fields é devido a uma única razão: os próprios produtores. Os Hanleys destruíram o filme ao interferir no processo de produção, mudando o enredo e tornando o filme um inlançável fiasco artístico.”

“Nenhum ator respeitável promoveria esse pedaço de lixo”, acrescentam. “Se os Hanleys fossem tão hábeis em produzir London Fields como eles estão sendo em criar mentiras audaciosas sobre Amber, seus pares e co-protagonistas, teriam um hit em suas mãos. Nós estamos ansiosos para ter um júri de Los Angeles comparar estes operadores desleixados com Amber e o resto consciente do elenco e da equipe. O veredicto contra os Hanleys será assombroso”.

Fonte: Hollywood Reporter
Tradução & Adaptação: Equipe AHBR

London Fields, o filme baseado no romance de Martin Amis, acabou não sendo lançado após o diretor Mathew Cullen e os atores do filme organizarem um boicote publicitário no Festival de Cinema de Toronto em 2015, mas o filme levou a várias ações judiciais, incluindo uma nova queixa explosiva vinda da atriz Amber Heard.

O produtor Christopher Hanley, por trás da produtora Nicola Six Limited, está lutando em várias frentes, inclusive contra o diretor Cullen, e em novembro de 2016, ele apresentou um processo de 10 milhões de dólares contra Heard por supostamente desconsiderar as obrigações contratuais ao não prestar serviços de interpretação de acordo com o roteiro e, mais tarde, por se recusar a participar da estreia do filme em Toronto.

Na quinta-feira, 30, Heard respondeu dizendo a um juiz, “este caso ilumina o escuro submundo de Hollywood.”

Em uma contra-queixa contra Hanley e sua esposa Roberta, seu advogado continua, “Amber Heard é a última vítima deste casal lascivo de exploradores sexuais. Uma estrela de cinema em ascensão, Heard concordou em protagonizar o filme intitulado London Fields baseado no romance de Martin Amis. Depois de ler o roteiro, ela insistiu em restrições específicas sobre nudez e cenas de sexo no filme como condições para concordar em aparecer no mesmo. Christopher Hanley expressamente concordou com os termos de Heard, e eles foram memorializados no Nudity Rider de seu contrato.”

De acordo com Amber, ela conversou com Cullen sobre as cenas de sexo, e a versão do filme feito pelo diretor cumpriu com seu trato. Mas Hanley supostamente tomou o filme em suas próprias mãos e demitiu Cullen, e em vez de pagar àqueles que trabalharam no filme, Heard diz que os fundos foram usados ​​para criar uma versão do produtor, que incluiu imagens sexuais e cenas vulgares não autorizadas.

“Os Hanleys também fizeram com que várias cenas de sexo e nudez adicionais fossem filmadas em segredo com uma dublê de corpo de Heard e incluídas na versão do produtor – também em violação do Nudity Rider”, afirma o contra-processo. “A filmagem secreta destas cenas com dublê de corpo não estavam no horário que tinha sido fornecido a Heard e foi filmado com uma equipe esqueleto (dublês ou pessoas que se passam pelos atores caros para que não seja necessário recontrata-los) somente depois que Heard tinha terminado de filmar e tinha deixado o set. A filmagem com a dublê incluía uma cena explícita de sexo pornográfico que Heard nunca teria concordado em fazer ela mesma… as cenas com a dublê foram projetadas e pretendidas para que qualquer um que visse as imagens, ficasse com a forte impressão de que era Heard.”

A queixa original de Nicola Six reconheceu uma disputa sobre a nudez. De acordo com a parte queixosa, “Em um esforço para intimidar Nicola Six, Heard alegou falsamente à Nicola Six que ela não tinha contratualmente concordado com permitir o uso de nudez no filme”.

De acordo com Heard, a cena “pornográfica” com a dublê de corpo envolveu uma mulher policial e uma mulher detida, no capô de um carro e um bastão policial.

Mas isso não é tudo.

A atriz também alega que Hanley exigiu que lhe fossem fornecidas “fotos de continuidade” de Heard durante a filmagem. As fotos são ditas servir ao propósito de garantir que os atores e atrizes tenham maquiagem de uma forma que é consistente de cena para cena.

“Essas fotos podem incluir vários estágios de despida durante as mudanças de guarda-roupa”, continua a contra-queixa. “Não há nenhum propósito comercial legítimo para Hanley possuir tais fotografias depois que a filmagem foi concluída, e os Hanleys tinham e não têm direitos de usar tais fotografias para qualquer finalidade apropriada depois que a filmagem terminou.” O interesse lascivo dos Hanleys em explorar Heard – seja durante ou fora das filmagens – fala muito sobre seus valores. ”

Ela está agora reivindicando por violação de contrato, violação do pacto implícito de boa-fé e lealdade, interferência tortuosa, apropriação indevida do direito de publicidade, invasão de privacidade por divulgação pública de fatos privados, fraude e engano e muito mais. Ela está buscando danos compensatórios e punitivos, além de uma injunção permanente para proibir a distribuição da versão de London Fields que supostamente viola seus direitos.

O litígio ameaça ir a lugares além da nudez em Hollywood. A denúncia original incluía a sugestão de que London Fields poderia ter sido um fator no divórcio de Heard e Johnny Depp, uma referência a boatos sobre Amber e co-estrela Billy Bob Thornton, potencialmente abrindo uma descoberta sobre se há uma teoria alternativa além de sexo não autorizado sobre por que Heard retirou seu apoio.

 

Fonte: THR
Tradução e Adaptação: AHBR

Foi divulgado um vídeo da Amber Heard e Billy Bob Thornton gravando juntos uma cena exterior do filme London Fields em 2013.

London Fields está para ser lançado ainda esse ano e conta também com a participação de Theo James e Cara Delevingne!

Segundo o site Page Six, o filme London Fields, após todos os seus problemas na justiça, será finalmente lançado ainda nesse ano.

Estrelando Amber Heard, Cara Delevingne, Theo James e Billy Bob Thornton, o filme seria apresentado no Toronto Film Festival em 2015 pela primeira vez, mas por conta do processo de Mathew Cullen contra os produtores, o lançamento acabou desandando. A Lionsgate, que seria a distribuidora, tirou o corpo de campo, mas fontes dizem que a equipe de London Fields conseguiu um novo acordo e que ele chegará aos cinemas, o que nos faz lembrar que recentemente uma imagem do processo de edição do filme foi divulgada, e nela podíamos ver o simbolo da Warner Bros, então talvez eles tenham comprado os direitos do projeto de Cullen.

Johnny Depp, ex marido de Amber Heard, também faz parte do filme, e ainda não se sabe como a equipe procederá a parte de divulgação, onde os atores participam juntos de entrevistas e premiers.

Após o diretor Mathew Cullen ter processado os produtores de “London Fields” por fraude, eles reagiram com uma violação à petição do contrato.

Duelando ações judiciais sobre a adaptação cinematográfica de Martin Amis, “London Fields” pode ir para a mediação, depois que um juiz da Califórnia, na sexta-feira, negou uma moção para descartar o contra processo.

A luta legal começou em setembro, quando o diretor do thriller, Mathew Cullen, processou os produtores do filme por fraude, alegando que eles não o pagaram e roubaram a edição final do filme, incluindo elementos que se transformaram em algo que ele não quer que seu nome esteja ligado.

“Entre outras coisas, esses elementos incluem imagens incendiárias evocando 9/11 jumpers editados contra a pornografia, assim como a justaposição da cidade mais sagrada do Islã contra o controle da mente”, afirma a sua queixa contra Christopher Hanley, Muse Productions e Nicola Six Limited.

A disputa jurídica fez com que London Fields fosse retirado da programação do Toronto International Film Festival, o que atraiu a ira dos produtores que revidou em novembro.

Nicola Six afirma que Cullen violou seu contrato por não entregar o filme no tempo e orçamento certos, e por ter trabalhado em um comercial da Exxon e em um vídeo clipe da Katy Perry, enquanto ele deveria estar dedicando o seu tempo exclusivamente para a edição do filme. Nicola Six também afirma que Cullen se envolveu em uma conspiração com as estrelas do PIC e seus agentes para prejudicar a edição do produtor do filme.

“O indevido processo de Cullen e a retirada do filme do TIFF teve um grave impacto negativo sobre as perspectivas da distribuição nacional do filme”, ​​afirma o contra processo. “Nicola Six e seus investidores incorreram em mais de 12,5 milhões em custos no filme, mais de 4,5 [milhões] sobre o valor originalmente orçados para o filme, em grande parte devido as violações Cross-Réus e comportamento lesivo”.

O advogado de Cullen, Alex Weingarten, apresentou uma moção para indeferir a denúncia apresentada nos termos do anti-SLAPP do estatuto da Califórnia, argumentando que seu cliente estava sendo processado por uma ação judicial que é protegida pela Primeira Emenda.

A juíza Lisa Hart Cole, do Los Angeles County Superior Tribunal, deu início a uma audiência na manhã de sexta-feira, descrevendo o assunto em questão como um “movimento SLAPP muito complicado”, após a emissão de uma decisão com quase 4.500 palavras hesitantes para descartar.

Weingarten reiterou seu argumento de que Cullen está sendo processado por está protegido pelo privilégio contencioso.

“Estamos sendo processados porque entramos com este processo e porque nós discutimos com outros os problemas que deram origem a este processo”, disse Wiengarten. “Estamos sendo processados por exercer nossos direitos da Primeira Emenda”.

Cole disse que o caso é complexo e que ela precisa de mais informações antes de descartar qualquer das reivindicações.

“O tribunal teria de achar que qualquer tipo de controvérsia no mundo do entretenimento é em antecipação de litígio”, disse ela. “Eu não tenho ideia do que as testemunhas irão dizer. Eu tenho que olhar para isso sob a luz mais favorável à parte requerente”.

O juiz, então, fez sua decisão provisória de negar a proposta anti-SLAPP para descartar o final.

Há uma conferência de gerenciamento de casos marcada para 25 de agosto, mas os advogados indicaram que sexta-feira irão tentar fazer progressos na resolução do caso através da mediação antes disso.

Nicola Six é representada por Louis Petrich.

London Fields parecia até então que nunca seria lançado por conta do grande atraso e falta de notícias, mas tudo piorou após a grande confusão entre produtor e diretor (você pode conferir a matéria sobre isso aqui), mas ao que parece as coisas já estão sendo resolvidas aos poucos e os envolvidos no projeto começam a realizar uma pequena divulgação do mesmo. Tudo indica que o filme será lançado na primavera de 2016 e stills da Amber Heard como Nicola Six também foram divulgados recentemente, você pode conferi-los clicando nas miniaturas abaixo:

O Festival de Toronto retirou “London Fields” de sua programação após o diretor do filme ter entrado com uma ação contra os produtores na terça-feira (15).

“Descobrimos recentemente sobre uma questão legal que surgiu entre o diretor e os produtores do filme London Fields“, um porta-voz do festival disse em um comunicado.

Temos trabalhado para tornar o nosso festival uma amostra pública da expressão criativa através da imagem em movimento, no entanto com a incerteza em torno da visão criativa da versão do filme programado para ser exibido no dia 18 de setembro, sentimos que é necessário que o removamos da programação do festival. Estamos esperançosos de que este assunto será resolvido de forma positiva e que o público terá a oportunidade de ver o filme. ”

No entanto, de acordo com os produtores, o filme foi retirado porque a imagem era “considerada muito provocante.”

Estamos muito desapontados que TIFF decidiu retirar o filme do festival,” os produtores Chris Hanley e Jorden Gertner disseram em um comunicado. “Sempre amamos lançar nossos filmes aqui, mas sinto que [neste] caso particular, tem havido uma decisão irrefletida feita contra nossos direitos.”

Segundo o diretor Mathew Cullen, os produtores envolvidos fizeram “esforços fraudulentos” mudando partes do filme sem o seu conhecimento.

Lionsgate e Grindstone acabam de fechar um negócio de sete dígitos para adquirir os direitos de London Fields, filme que conta com Amber Heard, Theo James e Johnny Depp no cast. As empresas se encarregarão pela distribuição do filme nos Estados Unidos, mas por enquanto a data de lançamento ainda não foi divulgada.

London Fields conta a história de uma femme fatale vidente chamada Nicola Six, que tem vivido com uma premonição obscura de sua morte iminente por assassinato. Ela começa um caso de amor enroscado com três homens excepcionalmente diferentes, um dos quais ela sabe que será seu assassino.

London Fields marca a estréia na direção do vencedor do Grammy e VMA MTV, Matthew Cullen. Situado no futuro em que o mundo está próximo de uma catastrofe, o suspnse estrelado por Amber Heard, Billy Bob Thornton, Theo James e Jim Sturgess tem sua estreia acontecendo dia 18 no Toronto Film Festival. Heard desempenha um clarividente cuja vida é abalado quando ela tem uma premonição de seu próprio assassinato. Confira abaixo o primeiro clipe do filme, divulgado pelo Deadline: