Seja bem-vindo ao Amber Heard Brasil, a sua maior e melhor fonte brasileira sobre a atriz no Brasil. Aqui você encontrará informações sobre seus projetos, campanhas e muito mais, além de entrevistas traduzidas e uma galeria repleta de fotos. Somos um site sem fins lucrativos criado e mantido por fãs e não possui qualquer ligação com Amber Heard, sua família ou seus representantes. Todo o conteúdo original aqui apresentado pertence ao site a não ser que seja informado o contrário. Nenhuma violação de direitos autorais é pretendida, nós NÃO reivindicamos ou possuímos direito de propriedade sobre nenhuma das fotos em nossa galeria, as mesmas pertencem aos seus respectivos donos legítimos e estão sendo usadas de acordo com a Fair Use Law § 107.


Mais de 130 pessoas, incluindo Gloria Steinem, e organizações no campo da defesa dos direitos das mulheres, violência doméstica e conscientização sobre agressão sexual assinaram uma carta aberta para apoiar Amber Heard, que perdeu um processo de difamação este ano movido por seu ex-marido, Johnny Depp, para um artigo de opinião no qual ela disse que era uma “figura pública que representa o abuso doméstico”.

A carta, que foi compartilhada exclusivamente com a NBC News antes de seu lançamento público na quarta-feira, foi assinada por grupos como a National Organization for Women, National Women’s Law Center, Equality Now e Women’s March Foundation. Foi escrito por um grupo de pessoas que se identificam como sobreviventes de violência doméstica e apoiadores de Heard.

Heard entrou com uma petição no mês passado estabelecendo as bases para apelar da decisão de um júri de sete pessoas no Tribunal do Condado de Fairfax, na Virgínia, para conceder a Depp US$ 10 milhões em danos compensatórios e US$ 5 milhões em danos punitivos em junho. Heard, que reagiu, recebeu US$ 2 milhões em danos compensatórios, mas nada em danos punitivos.

Embora a materia do Washington Post nunca tenha mencionado Depp pelo nome, os advogados de Depp disseram que se referia indiretamente a alegações que Heard fez contra ele durante o divórcio de 2016. Durante o julgamento, ela testemunhou em termos gráficos sobre uma agressão sexual que alegou, bem como alegações de incidentes de abuso físico. Depp negou todas as acusações de abuso.

A carta, que denuncia o “aumento do uso indevido” de processos por difamação para silenciar pessoas que denunciam abuso doméstico e sexual, é uma das maiores demonstrações públicas de apoio a Heard após meses de silêncio de muitos grupos após o veredicto.

Representantes de Depp e Heard se recusaram a comentar.

A decisão do júri foi uma justificativa legal para Depp, que perdeu um processo por difamação no Reino Unido há dois anos devido a alegações de que ele havia abusado fisicamente de Heard. O juiz Andrew Nicol decidiu contra Depp em 2020, dizendo que um tabloide britânico apresentou evidências substanciais para mostrar que Depp foi violento contra Heard em pelo menos 12 das 14 ocasiões.

Após o veredicto de junho, os ativistas chamaram outros grupos, como o Time’s Up, perguntando por que uma organização que defendia as vítimas no auge do movimento #MeToo agora estava em silêncio. Muitos que se manifestaram em apoio a Heard, incluindo a Coalizão Nacional Contra a Violência Doméstica, foram recebidos com uma reação feroz dos apoiadores de Depp online.

Uma porta-voz do grupo por trás da carta, que pediu para permanecer anônima por causa do assédio online que ela enfrentou por postar em apoio a Heard, disse acreditar que após o julgamento “os indivíduos estavam com medo de falar porque viram o que estava acontecendo com os poucos que tiveram.”

A carta diz que o “assédio online contínuo” de Heard e seus apoiadores foi “alimentado por desinformação, misoginia, bifobia e um ambiente de mídia social monetizado onde as alegações de uma mulher de violência doméstica e agressão sexual foram ridicularizadas para entretenimento”.

A difamação e o assédio de Heard e seus apoiadores foram “sem precedentes tanto em vitríolo quanto em escala”, diz a carta.

Kathy Spillar, diretora executiva da Feminist Majority Foundation, disse que sua organização assinou a carta depois de observar o que ela chamou de “reação crescente” contra mulheres que se manifestam contra autores de agressão sexual, violência doméstica e violência por parceiro íntimo.

“Se isso pode acontecer com Amber Heard, vai desencorajar outras mulheres de se manifestarem e até mesmo fazer denúncias sobre violência doméstica e agressão sexual” disse Spillar.

A carta diz que o veredicto e a resposta online a Heard “indicam um mal-entendido fundamental sobre o parceiro íntimo e a violência sexual e como os sobreviventes respondem a isso”.

Além de duas dúzias de organizações feministas, mais de 90 especialistas em violência doméstica e defensores de sobreviventes de todo o mundo assinaram a carta para “condenar a humilhação pública de Amber Heard e se unir para apoiá-la” Eles incluem médicos, advogados, professores, autores e ativistas.

Outros que assinaram a carta expressaram suas preocupações de que a reação ao julgamento nas mídias sociais foi prejudicial para as vítimas cotidianas de violência doméstica.

“Elas veem o ambiente que isso criou e se sentem ainda menos seguras do que antes para se manifestar e falar sobre o abuso que sofreram” disse Elizabeth Tang, conselheira sênior de educação e justiça no local de trabalho do National Women’s Law Center.

Tang disse que os agressores podem usar processos de difamação para “silenciar suas vítimas” ou como retaliação contra suas vítimas por falarem.

Tang disse que entre as “razões pelas quais achamos muito importante aderir a esta carta” está que “quando os tribunais não rejeitam esses processos de difamação nos estágios iniciais, isso cria muito trauma para as vítimas terem que passar por um processo muito longo, processo demorado e invasivo apenas para provar que as coisas que disseram são verdadeiras ou que não difamaram a pessoa que denunciaram.”

Christian F. Nunes, presidente nacional da Organização Nacional para Mulheres, disse que espera que a carta seja um lembrete de que o sistema judiciário nunca deve ser usado para forçar as vítimas a se retratar de declarações sobre seus abusos.

“Não podemos silenciar as vítimas usando tribunais e ações judiciais como forma de retraumatizá-las, porque é isso que está acontecendo,” disse Nunes. Ela disse que espera que a carta aumente a conscientização sobre as novas táticas que alguns abusadores usam contra suas vítimas, como campanhas nas redes sociais.

Desde o julgamento, houve mais apoio público a Heard nas mídias sociais, disse o porta-voz do grupo por trás da carta. Ela e outros apoiadores anônimos de Heard estavam “trabalhando para combater a desinformação há meses” quando se juntaram à iniciativa de carta aberta.

Especialistas disseram ter uma mensagem unânime que esperavam enviar aos sobreviventes que lessem a carta.

“É também uma forma de falar com todos os sobreviventes e dizer a eles: ‘Você não está sozinho‘” disse Tang.

Você pode conferir a tradução da carta aberta clicando aqui.

Matéria: NBC News | Tradução e adaptação: Equipe Amber Heard Brasil




Confira a tradução da carta aberta de apoio a Amber Heard:

Cinco meses atrás, o veredicto no julgamento por difamação entre Johnny Depp e Amber Heard preocupou profundamente muitos profissionais nas áreas de parceiro íntimo e violência sexual.

Tantos, incluindo A.O. Scott, do The New York Times, observou que a difamação da Sra. Heard e o contínuo assédio online a ela e àqueles que expressaram apoio a ela não têm precedentes, tanto em vitríolo quanto em escala.

Muito desse assédio foi alimentado por desinformação, misoginia, bifobia e um ambiente de mídia social monetizado onde as alegações de uma mulher de violência doméstica e agressão sexual foram ridicularizadas para entretenimento. Os mesmos tropos de desinformação e culpabilização das vítimas agora estão sendo usados ​​contra outras pessoas que alegaram abuso.

Em nossa opinião, o veredicto Depp v. Heard e o discurso continuado em torno dele indicam um mal-entendido fundamental sobre o parceiro íntimo e a violência sexual e como os sobreviventes respondem a ela. As consequências danosas da disseminação dessa desinformação são incalculáveis. Temos sérias preocupações sobre o crescente uso indevido de processos por difamação para ameaçar e silenciar sobreviventes.

Condenamos a humilhação pública de Amber Heard e nos unimos para apoiá-la. Apoiamos a capacidade de todos de denunciar violência sexual e de parceiro íntimo sem assédio e intimidação.

O link da carta aberta assinada por cerca de 130 especialistas está disponível aqui.




A enxurrada de conteúdo abusivo direcionado a Heard não está apenas prejudicando a ela e os futuros sobreviventes, mas também está moldando como os jovens entendem a violência doméstica.

Por Anya Zoledziowski

Enquanto o caso de difamação de Johnny Depp e Amber Heard se desenrola em um tribunal da Virgínia, um julgamento separado está ocorrendo online, onde o veredicto se inclina fortemente para Depp ser a “verdadeira vítima”.

Por semanas, memes e vídeos chamando Heard de “mentirosa”, “psicopata” e “manipuladora” congestionaram as mídias sociais. Eles tiram sarro de seu cabelo, roupas e expressões faciais, e às vezes até desejam que ela morra. Somente no TikTok, a hashtag #justiceforjohnnydepp foi visualizada 16,3 bilhões de vezes – em comparação com apenas 53,6 milhões para #justiceforamberheard (nem perto de 1 por cento).

Hoje, esse julgamento está em nossos bate-papos em grupo, no bar, e pode até surgir durante o jantar, e é uma realidade que de certa forma já declarou Heard a perdedora – mesmo que ela vença no tribunal.

“Na verdade, provavelmente será pior para ela se ela vencer”, disse Mandi Gray, especialista em justiça de gênero e pesquisadora da Universidade de Calgary, à VICE News. “A humilhação pública, na minha opinião, vai aumentar.”

Pelo menos parte do conteúdo pró-Johnny vem do site de direita Daily Wire, fundado por Ben Shapiro. (A VICE World News descobriu como o Daily Wire gastou milhares de dólares em publicidade pró-Depp.) Mas também houve rumores de que trolls e bots estão espalhando rapidamente conteúdo em defesa do ator de Piratas do Caribe. Depois, há os criadores de conteúdo que começaram a comentar sobre o julgamento para ganhar seguidores e influência.

O dilúvio avassalador de conteúdo direcionado a Heard é abusivo e humilhante, dizem os especialistas, e é em parte por que nós, coletivamente como sociedade, estamos falhando com Heard.

“Eu não acho que nós só falhamos com Amber Heard. Acho que falhamos com todas as mulheres que sofreram violência de gênero,” disse Gray.

Independentemente de você acreditar em Depp ou Heard ou em ambos, muitos de nós estão se acumulando no abuso que Heard disse repetidamente que sofreu: criando – ou consumindo ou compartilhando ativamente – vitríolo anti-Heard. É também por isso que Depp, de certa forma, já venceu, dizem os especialistas.

“É preciso uma aldeia” disse a defensora da justiça de gênero Farrah Khan. “Não se trata apenas da pessoa causar dano; é sobre as pessoas ao redor que permitem, defendem e incentivam.”

Tudo isso está acontecendo enquanto ainda estamos a dias de um veredicto no tribunal de Fairfax, onde Depp lançou um processo de difamação de US$ 50 milhões contra Heard em resposta a um editorial do Washington Post de 2018, que Heard escreveu sobre suas experiências com agressão doméstica. A postagem não nomeou Depp, mas o ator indicado ao Oscar afirma que é “claramente” sobre ele e que isso lhe custou sua carreira. Heard está processando Depp por US$ 100 milhões em danos. Tanto Heard quanto Depp acusam o outro de ser abusivo, mantendo sua própria inocência.

Durante semanas, o tribunal ouviu testemunhos angustiantes de ambos os atores, que produziram imagens, gravações de áudio e mensagens de texto privadas para defender seus casos. Em uma série de textos, Depp disse que queria “queimar” Heard e que “foderia seu cadáver queimado” para “ter certeza de que ela está morta”. Em uma gravação de áudio tocada repetidamente para o júri, Heard diz a Depp que ela o “bateu”, mas não o “socou”. “Eu não te dei um”, ela diz no áudio. Fotos de Heard com o rosto machucado e inchado e o cabelo arrancado do couro cabeludo acompanham várias alegações de abuso que ela diz ter sofrido nas mãos de Depp.

Depp diz que Heard cortou a ponta de seu dedo durante a infame briga na Austrália. (Na época, ele disse às pessoas que ele mesmo fez isso.) Foi durante essa briga que Heard diz que Depp jogou vidro repetidamente e a penetrou com uma garrafa. Ela disse ao tribunal que Depp segurou uma garrafa quebrada em seu queixo e disse que ele “cortaria” seu rosto.

Os comentários que acompanham as transmissões ao vivo do julgamento fizeram pouco caso dos textos violentos de Depp (“lol Johnny”) e honram suas alegações, enquanto chamam as imagens dos ferimentos de Heard de “photoshop” e enviam spam para seu testemunho com emojis de vômito.

Mesmo as pessoas que dizem que sofreram abusos expressaram seu desdém por Heard. Mas, como Khan disse, somos especialistas apenas quando se trata de nossas próprias experiências.

“Isso não faz de você um especialista em violência doméstica como um todo, porque isso acontece de muitas maneiras diferentes” disse Khan.

“Você terá mais predadores – e mais violência.”

Vários defensores da justiça baseada em gênero disseram à VICE News que se deve acreditar em Heard, e notam que casos de difamação são frequentemente usados ??por abusadores para controlar e coagir sobreviventes.

Gray, que estudou o fenômeno e está sendo processada no Canadá por twittar sobre alegações de agressão sexual, disse que esses casos legais são uma “maneira de humilhar publicamente as pessoas, principalmente as mulheres, e obter o controle”. Isso ocorre em parte porque, quando você é processado, precisa entregar uma grande parte de sua vida: mensagens de texto entre amigos e familiares, e-mails e muito mais, que são escrutinados no tribunal.

“É um processo muito invasivo” disse Gray, acrescentando que, ao iniciar processos de difamação, os criminosos também podem tentar “inverter o roteiro”.

“Este caso não é exceção. É a regra” disse Gray.

Mas mesmo que Heard esteja mentindo, isso justificaria o ódio que fervilha nossos feeds de mídia social? “Você ainda não diria que não está tudo bem – eu não quero que ela se prejudique, eu não quero que ela se machuque?” disse Khan.

Os comentários mordazes já estão causando um efeito silenciador. Alguns leitores entraram em contato para dizer que estão com muito medo de falar contra Depp porque não querem que “sua horda” os ataque.

Em breve, isso silenciará as próprias vítimas e sobreviventes de violência doméstica, disse Jaclyn Friedman, escritora feminista e fundadora do EducateUS, um grupo dedicado a melhorar a educação sexual nos EUA.

“Você só vai ver menos vítimas se manifestando. Algumas vítimas vão pensar que não podem sair porque viram seus amigos e familiares atacarem Heard e apoiarem Depp” disse Friedman.

“O que tudo isso significa é que você terá mais predadores – e mais violência.”

Isso provavelmente seria ainda pior para outras mulheres, especialmente mulheres de cor ou mulheres mais pobres. A sexualidade de Heard foi armada durante sua briga com Depp: os tablóides a pintaram como promíscua e insinuam que ela traiu Depp – tudo porque ela namorou homens e mulheres. Mas a estrela do Aquaman também é branca e convencionalmente atraente.

Então, se tratamos tão mal uma mulher branca cis, “o que estamos dizendo para o resto?” disse Khan. “Penso em Megan Thee Stallion… penso em FKA Twigs.”

O caso de Heard também tem o potencial de moldar como os jovens entendem a violência sexual e doméstica. Cerca de um terço dos usuários do TikTok nos EUA têm entre 10 e 19 anos e mais da metade são mulheres. Eles, sem dúvida, verão o conteúdo do Depp-Heard. Muitos desses usuários sofrerão violência sexual e doméstica, apontou Khan.

“Esta é uma questão que devemos levar a sério porque esta é uma das maiores campanhas públicas de desinformação que já vimos sobre violência doméstica” disse Khan. “Este caso está moldando como os jovens veem a violência doméstica.”

Khan também disse que a maneira como tudo isso está se desenrolando também criará um manual de “como prejudicar”.

Portanto, embora uma “vitória no tribunal seja melhor do que uma derrota” disse Friedman, “a mensagem foi enviada não apenas às vítimas atuais, mas às futuras vítimas de que você precisa estar disposto a passar por humilhação pública, assassinato de caráter e retraumatização.”

O processo judicial deve terminar na sexta-feira, com um veredicto esperado logo depois. Mas, como Friedman apontou, “muito do dano já foi feito”.

Enquanto isso, as equipes jurídicas de Heard e Depp estão encerrando seus casos agora em suas últimas tentativas de influenciar o júri. Mas mensagens de texto estranhamente prescientes escritas por Depp anos atrás sugerem que o que está acontecendo fora do tribunal já está acontecendo do jeito dele.

“Eu não tenho misericórdia, nem medo e nem um pingo de emoção, ou o que eu uma vez pensei que era amor por essa interesseira, baixo nível, dez centavos, uma dúzia, podre, baranga sem sentido, estou tão feliz por ela quer ir lutar contra isso!!! Ela vai bater na parede com força!!!” Depp escreveu em 2016, presumivelmente sobre Heard depois que ela pediu uma ordem de restrição contra ele.

“Ela está implorando por uma humilhação global total… Ela vai conseguir.”

Matéria: Vice | Tradução e adaptação: Equipe Amber Heard Brasil




Depp processou o Jornal ‘The Sun‘ após um artigo de 2018, escrito pelo editor executivo Dan Wootton, que se referia à Johnny Depp como ‘Agressor de esposa’ (wife-beater), referente a alegações de Amber Heard, que sofreu violência doméstica no período de relacionamento do ex-casal, de 2013-2016.

Como noticiado anteriormente e em primeira mão aqui no Amber Heard Brasil, Amber Heard testemunhou a favor do Jornal The Sun durante o julgamento de 16 dias que aconteceu em Londres, no mês de Julho. (Você pode conferir todos os testemunhos traduzidos aqui). A sentença ficou marcada para a presente data.

O juiz Nicol descartou o caso de difamação de Depp contra o Jornal The Sun depois de descobrir que a história do jornal supracitado – que sempre foi firmemente apoiada pela Sra. Heard – era precisa. O juiz decidiu que os sentimentos de Depp em relação à esposa durante o turbulento relacionamento de três anos que tiveram foram resumidos em uma mensagem em que o ator revelou que “não tinha misericórdia” dela. O juiz também concluiu que as provas apresentadas por Amber no tribunal, nas quais ator de 57 anos bateu em Heard, de 34, no mínimo 12 vezes, são mais que reais.

Ele rejeitou duas alegações feitas pela Sra. Heard sobre acontecimentos de 2014 e 2015, mas disse que não poderia concluir que ela estava mentindo sobre o assunto. Ao longo de seu casamento tempestuoso, o juiz deparou-se com provas de Depp espancando sua então esposa depois de entrar em sua persona de “monstro”, que era quando ele se embriagava com bebidas e se drogava. Johnny deixou a atriz “temendo por sua vida” em violentos ataques, onde a Sra. Heard foi sufocada, empurrada ao chão e repetidamente agredida.

Depp classificou as alegações da estrela de Aquaman como uma “farsa” e a acusou de atacá-lo enquanto ele testemunhava por mais de 20 horas no Tribunal Superior. A estrela de Alice no País das Maravilhas também tentou inúmeras vezes manchar a reputação de sua ex-esposa – até mesmo fazendo uma falsa alegação inacreditável que Heard fez cocô na cama do casal após uma briga. Mas o juiz disse hoje que os editores do The Sun, News Group Newspapers (NGN), provaram que o que está no artigo é “substancialmente verdadeiro”. Ele também rejeitou a descrição de Depp de sua ex-esposa como uma “interesseira que só quer dinheiro e fama”, dizendo: “Eu não aceito essa caracterização da Sra. Heard.”

O Juiz Nicol acrescentou: “Embora tenha provado os elementos necessários para a sua ação por difamação, os réus mostraram que o que publicaram no sentido que considero que as palavras sustentam é substancialmente verdadeiro. Cheguei a essas conclusões tendo examinado em detalhes os 14 incidentes nos quais os réus se baseiam, bem como as considerações gerais que o requerente apresentou que devo levar em consideração.”
O julgamento por difamação de 16 dias – considerado o maior do século 21 – aconteceu em Julho deste ano com uma série de revelações bombásticas e alegações de violência horrível. Legiões de fãs se reuniam fora do Tribunal Superior todas as manhãs enquanto o relacionamento turbulento do ex-casal era mostrado para o mundo. Grande estrelas foram arrastados para o caso enquanto Depp passava 20 horas no banco das testemunhas se gabando de sua amizade com rostos famosos – incluindo o guitarrista dos Rolling Stones, Keith Richards e o músico Sir Elton John.

O ator de 57 anos também admitiu usar drogas desde os 14 anos, enquanto enfrentava uma intensa crise por causa de seu estilo de vida selvagem Hollywoodano. Mas a perda de hoje deixa sua reputação em frangalhos, com sua carreira na tela de prata enfrentando a ruína. E em outro golpe amargo, ele agora pode enfrentar o desembolso de milhões de libras em custas judiciais – incluindo o The Sun.

Um porta-voz do The Sun disse: “O The Sun se pronuncia e fez campanha pelas vítimas de violência doméstica por mais de vinte anos. As vítimas de violência doméstica nunca devem ser silenciadas e agradecemos ao juiz por sua consideração cuidadosa e agradecemos a Amber Heard por sua coragem em prestar depoimento ao tribunal.”

Após a sensacional decisão de hoje, a advogada americana Elaine Charlson Bredehoft, que representa Amber Heard, disse: “Para aqueles de nós que estávamos presentes no julgamento da Suprema Corte de Londres, esta decisão e julgamento não são uma surpresa. Muito em breve, apresentaremos evidências ainda mais importantes e bombásticas nos Estados Unidos. Estamos empenhados em obter justiça para Amber Heard no tribunal dos Estados Unidos e em defender o direito da Sra. Heard à liberdade de expressão.”

O veredito foi saudado por instituições de caridade e especialistas jurídicos, que classificaram o caso caro como um “acidente de carro”.

Nicki Norman, executiva-chefe da Women’s Aid, disse: “As alegações de violência doméstica contra Johnny Depp eram extremamente graves. Todos que sofreram violência doméstica merecem ser ouvidos e acreditados. Isso também se aplica a sobreviventes que não se enquadram na imagem da ‘vítima perfeita’ – e independentemente do perfil do suposto agressor. Não há desculpa para violência doméstica.”

Enquanto o guru de relações públicas Mark Borkowski disse que o caso foi “um dos maiores fracassos do showbiz em muito tempo”. Ele acrescentou: “Ele acabou de mudar o volume do (seu) estilo de vida. E isso torna Amber Heard um mártir e torna Depp algo muito mais sombrio do que apenas um vilão de pantomima.”

Em Julho, Heard, 34, descreveu sua dor ao ser forçada a reviver detalhes “traumáticos” de seu relacionamento rompido com um monstro que tornou sua vida uma miséria. Durante o julgamento, o tribunal ouviu que Depp enviou mensagens de texto à Heard chamando-a de “uma mulher gorda e feia”. Ele também enviou mensagens para o ator britânico Paul Bettany, planejando afogá-la e queimá-la como uma bruxa e “f **er seu cadáver queimado depois para ter certeza de que ela está morta”. Os advogados de Depp argumentaram que as mensagens não deveriam ser levadas a sério, “por mais obscura e extravagante que seja a linguagem”. Mas, dia após dia, a Suprema Corte ouvia evidências que pintavam Depp de uma forma terrível. A advogada do The Sun, Sasha Wass QC, disse que Depp regularmente fazia sua então esposa temer por sua vida. Muitas vezes ele não conseguia se lembrar de “sua própria conduta vergonhosa” enquanto consumia grandes quantidades de álcool e drogas. As fotos mostradas ao tribunal supostamente mostravam linhas de cocaína em sua mesa de cozinha, que Depp admitiu ter levado. Outra foto, tirada pela senhora Heard, mostrou o ator aparentemente desmaiado ao lado de sua cama em Julho de 2013.

O julgamento também ouviu uma gravação de voz de Depp admitindo dar uma cabeçada em Amber durante uma discussão acalorada em dezembro de 2015.

Sasha Wass, interrogando Depp, disse a ele: “Você perdeu a paciência. Você jogou uma garrafa. Você socou as paredes, deu um tapa na Srta. Heard, agarrou-a pelos cabelos. Você bateu na nuca dela e a empurrou. Você perdeu completamente o autocontrole. Você deu uma cabeçada na Srta. Heard usando o topo de sua cabeça para acertá-la entre os olhos. Amber caiu para trás e seu nariz começou a sangrar imediatamente.”

Enquanto isso, o tribunal ouviu como Johnny Depp, que estava altamente embriagado e drogado, cortou um dedo em uma briga antes de usar o toco ensanguentado para rabiscar grafite em uma casa que estava alugando. A Sra. Wass revelou: “Foi um estado de carnificina completa em casa. Você ergueu a mão e disse [para a Sra. Heard]: “Olha o que você me fez fazer. É bom o suficiente para você? Que idiota eu sou, eu te amo.” Wass então prosseguiu. “Você usou seu dedo machucado no lugar de um pincel, mergulhando-o na tinta e usando-o para fazer o graffiti. Este exercício de pintura estava acontecendo em todas as paredes da casa, pisos, sofás.” Ela acrescentou: “Alguém sóbrio, não sob a influência de drogas, teria sentido uma dor considerável. Você não sabia o que estava fazendo nesta fase. Você estava completamente louco com bebida e drogas.”

Os danos causados ​​foram posteriormente estimados em £ 120.000. (aproximadamente R$ 801.879,45 – oitocentos e hum mil, oitocentos e setenta e nove reais e quarenta e cinco centavos).

Durante o caso – apelidado de Julgamento do Século – Depp, 57, admitiu que consumiu quantidades “gigantescas” de álcool e drogas, inclusive no set da franquia de filmes de sucesso da Disney, Piratas Do Caribe. Ele também admitiu gritar insultos vis para a estrela de Aquaman, Heard, 34, e chamá-la de “conselheira de acampamento lésbica”, “porca nojenta”, “c ** t” e “suckfish desumano cheio de escória” em textos lidos para o tribunal. Em um texto para seu assistente, Depp se referiu a si mesmo como “o Mad S ***** r”, uma referência grosseira ao seu papel como o Chapeleiro Maluco no filme Alice no País das Maravilhas de 2010, da Disney.

Amber Heard alegou que ele a manteve “refém” em uma casa alugada durante uma bebedeira e drogas que durou três dias na Austrália, onde ele estava filmando Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar, e a atacou brutalmente. O juiz disse que mais tarde, o ator usou o coto ensanguentado de seu próprio dedo decepado para rabiscar pichações por toda a casa – e então a culpou por “me obrigar a fazer isso”, ouviu o tribunal. Também foi alegado que ele enrolou sua camiseta no pescoço de Heard durante um ataque brutal em sua lua de mel de 2015 a bordo do luxuoso Eastern & Oriental Express. E Heard também contou que ele a atacou em seu apartamento em Los Angeles pelo menos duas vezes, arrancando mechas de seu cabelo e jogando um telefone celular em seu rosto.

Evidências chocantes do abuso de drogas de Depp também surgiram durante o julgamento. Uma foto tirada por Heard mostrou o ator caído inconsciente no chão de seu quarto. Outra capturou as consequências de uma bebedeira e drogas em sua casa em Los Angeles na manhã seguinte a uma violenta discussão. Vários itens de parafernália de drogas – incluindo quatro linhas de cocaína – eram visíveis na mesa da cozinha da Sra. Heard, junto com um copo pequeno de uísque e uma caixa de comprimidos com a inscrição “Propriedade de JD“. Depp negou ter atacado a Sra. Heard, mas disse: “Foi uma discussão bastante sórdida. Eu definitivamente estava comendo cocaína e uísque naquela manhã. ” Uma foto de Depp jogado ao lado de sua cama foi tirada pela Sra. Heard em julho de 2013 em uma tentativa de “chocar” seu marido para que deixasse de beber e de fazer uso das drogas foi mostrada no tribunal. Depp disse que parecia estar dormindo na foto, mas não descartou a possibilidade de estar desmaiado devido ao consumo excessivo de entorpecentes.

Uma terceira foto chocante de Depp desmaiado com um pote de sorvete derramando em seu colo foi exibida no tribunal. A foto foi tirada em Agosto de 2014.

Em uma ocasião, Depp mandou uma mensagem para sua enfermeira particular dizendo que ele teve uma “discussão desagradável” com Amber e queria “um nocaute de merda yum-yum” – uma referência a fortes analgésicos prescritos. Quando a enfermeira chegou, Johnny estava sentado em sua cozinha com “os nós dos dedos arranhados e ensanguentados”. Ele havia enviado uma mensagem de texto para sua irmã dizendo: “Vou foder  selvagemente algum filho da puta.” A Sra. Wass disse a ele: “Há momentos em que você nem mesmo se lembra da conduta pela qual foi responsável. Você desmaiou em muitas e muitas ocasiões.”

O tribunal ouviu que a filha de Depp, Lily-Rose, declarou que ao ficar com a Sra. Heard, ela o estava ajudando a se tornar “um pai melhor”.

Heard conheceu Depp no ​​set de The Rum Diary em 2011 e eles se casaram em 2015, mas eles se divorciaram oficialmente em 2017 – um ano após ela obter uma ordem de restrição contra ele, acusando-o de abuso.

Matéria Original | Tradução e adaptação: Equipe Amber Heard Brasil




O ator muito ciumento, renomeava estrelas masculinas e femininas que ele considerava uma “ameaça sexual” usando insultos bizarros.

A estrela de Titanic, DiCaprio, ficou conhecido como “cabeça de abóbora”, enquanto Depp chamou Channing Tatum de “cabeça de batata” e Jim Sturgess “cocô”.

Depp também acusou Heard de ter casos com uma série de atores – incluindo Eddie Redmayne, James Franco, Liam Hemsworth, Billy-Bob Thornton e Kelli Garner.

Heard fez a afirmação ao iniciar suas provas contra Depp na alta corte de Londres hoje.

Ela disse: “Eu tinha que justificar a ele por que estava fazendo um filme, e era muito pior se houvesse algum beijo ou uma cena de sexo nele. Ele tentava me pegar tomando meu telefone ou dizendo que alguém tinha lhe dito que eu estava tendo um caso e agia como se ele tivesse informações que o provassem – quando eu realmente não tinha. Ele me provocava – especialmente quando estava bêbado ou chapado – e tinha apelidos depreciativos para cada um dos meus colegas masculinos que considerava uma ameaça sexual. Por exemplo, Leonardo DiCaprio era ‘cabeça de abóbora’, Channing Tatum era ‘cabeça de batata’ e ‘Jim Cocô Sturgess’.”

Heard também afirmou que Depp “controlador” ficava obcecada com quem ela dormiu anteriormente e disse que se sentiu forçada a começar a recusar o trabalho.

A estrela do Aquaman acrescentou: “Ele falava possessivamente de mim como ‘minha mulher’ e fez comentários que desejava ter me encontrado antes que eu dormisse com mais alguém, ‘brincando’ que ele me trancaria aos 14 anos. Ele ficava obcecado com a maneira como eu me vestia. Se eu usasse um vestido decotado, ele diria coisas como ‘minha garota não vai se vestir como uma prostituta’. Com o tempo, parei de usar vestidos reveladores para eventos no tapete vermelho: simplesmente não valia a pena o abuso verbal e psicológico”.

O tribunal ouviu hoje como Depp ameaçou fazer com que alguns “irmãos negros” estuprassem Amber Heard durante um violento voo particular.

O ator de Piratas do Caribe supostamente fez uma série de comentários gráficos para a atriz enquanto viajavam entre Boston e Los Angeles em 2014.

Ele então chutou Heard “pelas costas” enquanto a acusava de ter um caso com seu colega James Franco.

Em sua declaração de testemunha, Heard disse: “Johnny sentou na minha frente em um dos assentos opostos. Eu estava no modo de congelamento. Pude ver que ele estava louco, bêbado e drogado. Comecei tentando não provocá-lo – sabia que não havia nada que pudesse fazer para aplacá-lo. A certa altura, levantei-me para me mudar para outro lugar no avião e ele disse: ‘você está se afastando de mim?’ E ele me chutou com força nas costas. Caí de joelhos e mãos, mortificada. Eu não olhava para ele. Ele estava gritando comigo, me provocando, dizendo algo como ‘James Franco, merda, merda, olhe para mim’. Ele ainda estava bebendo muito e continuou me insultando verbalmente, tentando chamar minha atenção. Ele continuou me abusando verbalmente, dizendo coisas como ‘quando pousamos, posso ligar para alguns irmãos negros que podem te foder se você estiver tão desesperada por isso’. Eu não reagi, então ele tirou a bota e jogou em mim. Em algum momento ele também jogou um garfo em mim. Ele finalmente foi ao banheiro e desmaiou. Ninguém disse nada ou reagiu.”

Mas Depp negou as alegações de violência contra sua esposa, dizendo que foi ao banheiro dormir no chão.

Mas uma mensagem no dia do ocorrido foi lida no tribunal de Depp para seu amigo Paul Bettany onde ele disse que ele era “um Injun furioso e irritado em um blecaute, gritando obscenidades e insultando qualquer idiota que se aproximasse …”

O tribunal foi informado como Depp ameaçava “talhar” o rosto de Heard se ela o deixasse ou o machucasse.

Heard também afirmou que Depp ameaçou “matá-la muitas vezes” durante brigas explosivas movidas a drogas.

Ela disse: “Ele ameaçou explicitamente me matar muitas vezes. Ele culparia todas as suas ações por uma terceira pessoa criada por ele, que ele costumava chamar de ‘O Monstro’. Ele falou sobre o nosso relacionamento estar “vivo ou morto” e me disse que a morte era a única maneira de sair do relacionamento. Ele descreveu o que queria fazer comigo se eu o deixasse ou o machucasse, por exemplo, talhar meu rosto para que ninguém mais me quisesse. Ele também disse que faria com outras pessoas de quem não gostava ou se sentia ameaçado, detalhando como ele queria que alguém fosse torturado ou quão barato e fácil seria fazer alguém ser liquidado.”

Heard disse à Suprema Corte como seu peso despencou enquanto ela estava com Depp – alegando que ela ficava “assustada o tempo todo”.

A estrela acrescentou: “Ao longo dos anos, Johnny me ameaçou muito por eu deixá-lo. Ele falava sobre o que faria comigo se eu o deixasse, como ‘Cortarei seu rosto para que ninguém te queira nunca mais’ e sobre como ele conhecia pessoas que podiam ‘quebrar uma perna, muito barato ‘.”

Heard também disse: “O que Johnny diz sobre minha chamada ‘agenda’ em se casar com ele, para benefício financeiro ou para de alguma forma promover minha carreira, é absurdo. Permaneci financeiramente independente dele o tempo todo em que estivemos juntos e todo o valor do meu acordo de divórcio foi doado para caridade. De fato, meu desejo de permanecer independente financeiramente foi uma das principais fontes de conflito durante o nosso relacionamento.”

O caso continua.

Original | Tradução e adaptação: Equipe Amber Heard Brasil




ALERTA DE GATILHO: comentários e imagens sobre agressões físicas em detalhes explícitos e aterrorizantes, sendo assim, pode causar desconforto e desencadear fortes emoções. Se você é sensível a este tipo de conteúdo, por favor, não leia.

Amber Heard descreveu uma “situação de refém por três dias” com Johnny Depp, onde ele supostamente foi viciado em drogas, atacou-a, urinou na frente de pessoas e escondeu carne crua em um guarda-roupa.

Ela disse que foi visitá-lo na Austrália em março de 2015, enquanto ele filmava Piratas do Caribe e eles deviam ficar sozinhos por três dias. Heard disse que temia por sua vida e a descreveu como “a pior coisa que já passei”.

Em uma declaração de testemunha apresentada como parte do caso de difamação de Depp contra o The Sun por alegações de violência doméstica, Heard disse que seu ex-marido estava fazendo “todos os tipos de acusações sem sentido” sobre ela, além de ter “alucinações estranhas e paranoicas”.

A new picture allegedly shows scars on Amber's arms
Nova imagem mostrando as cicatrizes de Amber do ocorrido

Ela disse: “A melhor maneira de descrever o que aconteceu na Austrália é que foi como uma situação de refém por três dias. Devíamos ficar lá por três dias sozinhos, mas foi só quando cheguei que percebi que estava presa neste lugar remoto, sem meios para sair, e que Johnny já estava usando e tinha um saco de drogas. Eu estava em uma casa isolada, a pelo menos 20 minutos de ajuda; onde eu não poderia sair; eu estava presa e isolada com uma pessoa violenta que sofre de depressão maníaca, transtorno bipolar e um padrão de psicose e violência repetidas induzidas por drogas, que estava em uma farra de drogas e álcool por vários dias. Ao longo desses três dias, houve atos extremos de formas psicológicas, físicas, emocionais e outras formas de violência. É a pior coisa que já passei. Fiquei com um lábio e nariz machucados e cortes nos braços.

Heard alegou que, a certa altura, Depp a agarrou pelo pescoço, empurrou-a contra a geladeira e disse que poderia “esmagar” seu pescoço. Ela disse que havia cacos de vidro em todos os lugares e alegou que ele arrancou a camisola dela para que ela estivesse nua.

“Num momento ele me puxou pelo pescoço e me empurrou contra a bancada, eu estava contra a bancada, nua, curvada para trás, minhas costas contra o mármore. Ele estava apertando tanto meu pescoço que eu não conseguia respirar. Eu estava tentando lhe dizer que não conseguia respirar. Lembro-me de pensar que ele ia me matar naquele momento -” disse ela.

Durante o tribunal Heard também descreveu outro ocorrido. Ela alegou que o casal estava discutindo sobre Depp beber e quando ela o confrontou, ele ofereceu a garrafa a ela.

Heard disse ao tribunal: “Ele disse: ‘Ah, sim, você quer? Aqui está,’ e nesse ponto a bebida já… ele já havia desistido por um tempo e estava na lista de “se isso acontecer, eu saio” algo assim. Estava na lista de exclusão. E ele gesticulou para oferecer para mim e eu estendi a mão para pegá-la e ele o puxou de volta.”

Ela disse que Depp estava “me provocando para pegá-la” e depois o afastava. Heard continuou dizendo que “a alcançou pela segunda vez e eu a joguei no chão entre Johnny e eu”. Ela acrescentou: “Lamento ter feito isso”.

Heard então disse: “Ele começou a pegá-las (garrafas) uma a uma e jogá-las como granadas. Uma após a outra após a outra, na minha direção, e senti vidro quebrando atrás de mim, me afastei mais no bar e ele não parou. Eu estava com muito medo de olhar para trás. Ele jogou todas as garrafas que estavam ao seu alcance, exceto uma que era uma garrafa de vinho comemorativa do tamanho de uma magnum.”

Heard disse que se lembrava que aquela era a única garrafa que não havia sido quebrada em cerca de 30.

No dia seguinte, ela disse ter notado que o dedo de Depp havia sido cortado, explicando em sua declaração: “Na verdade, eu não vi o dedo sendo cortado, mas estava preocupado que isso tivesse acontecido na noite anterior. Imaginei que poderia ter acontecido quando ele estava quebrando o telefone na parede perto da geladeira.

Em sua declaração, Heard continua dizendo que a segurança chegou e perguntou a Depp onde ele estava.

“Ele saiu pela porta da frente, embora a segurança tentasse detê-lo. Ele pegou o pênis e eles perguntaram o que ele estava fazendo. Ele respondeu como se estivesse dormindo: ‘Eu preciso mijar, é a minha casa’. Ele fez xixi do lado de fora da porta da frente; então ele voltou e fez isso bem na frente deles, rindo nervosamente. Ele disse que estava tentando escrever meu nome, mijando nas paredes e no tapete, andando pela casa.”

Heard disse que Depp foi levada ao hospital e, em algum momento naquele dia, encontrou a camisola que usava.

“Havia pedaços dela enrolados em alguma coisa e eu percebi que era o bife que eu planejava cozinhar. Ele rasgou o vestido em pedaços e colocou carne crua nele. Ele também andou por aí e pintou todas as minhas roupas no armário. Ele havia tirado muitas roupas, colocado na banheira e derramado tinta sobre elas. E ele havia escondido mais pedaços de carne crua em alguns lugares, como no armário do quarto. Foi realmente uma bagunça”, disse ela.

O julgamento ouviu anteriormente que Depp disse que seu dedo foi cortado depois que Heard jogou uma garrafa de vodka nele.

O caso continua.

Original | Tradução e adaptação: Equipe Amber Heard Brasil







layout desenvolvido por lannie d. - Amber Heard Brasil